Início > Música > Músicas IX – Vide-Vida Marvada – Rolando Boldrin.

Músicas IX – Vide-Vida Marvada – Rolando Boldrin.

Iniciemos com um clichê: “Ah, eu nada tenho contra a verdadeira música caipira de raiz, o que é muito diferente desse sertanojo de corno que tanto incomoda os meus ouvidos“.

Ora, nem todo clichê é mentiroso, não é mesmo? Principalmente em tempos onde o tal “sertanejo universitário”,  representado por  “artistas” de qualidade duvidosa como Luan Santana, desfruta o auge da popularidade.

A verdade é que vivenciamos hoje o que se chama “a quarta era da música sertaneja”, que conseguiu diluir ainda mais a essência da música caipira. Muito mais do que  a hecatombe sonora do que foi a “terceira era”, aquele tempo onde sucessos de Leandro & Leonardo; Zezé di Camargo & Luciano; etc, martelavam em todas as rádios desse Brasil, fazendo com que nossa memória auditiva fosse impregnada de tal maneira dessas melodias a ponto de atingir o inconsciente coletivo tupiniquim.

Para maiores detalhes acerca da história do cancioneiro rural do Brasil, favor consultar a Wikipedia, cujo artigo, embora resumido, dá uma breve idéia desse gênero que merece respeito de todo audiófilo que se preze.

Sendo assim, nesse cotidiano martelado por “meteoros da paixão” e outras bobagens comerciais, é um verdadeiro alívio ouvir a canção “Vide-Vida Marvada”, cujo compositor, Rolando Boldrin, sempre foi  um curador do que é a música caipira do interior do país, sempre entoando, do alto de sua viola, suas modas, toadas, cateretês, chulas, emboladas e batuques.

Desconheço o contexto em que essa música foi composta. Toda a vez que a ouço, tenho uma certa impressão de ser um trabalho de “antropologia cultural”, na falta de um termo melhor. Parecido com que os artistas do  modernismo faziam: identificar a cultura nacional e dilui-la em uma arte mais refinada.

Mas em nada tira a graça do que considero uma das melhores músicas sertanejas já compostas. Vale dizer que estou, sem nenhum exagero, a três meses com essa melodia na cabeça, sempre cantarolando-a por aí. Talvez esse post seja até mesmo um exorcismo necessário, de tanto que a fico recordando no dia-a-dia.

Segue abaixo um clipe do youtube para v. apreciação:

About these ads
CategoriasMúsica
  1. Problems with sign in
    4 de julho de 2011 às 21:16

    Quando assisti ao filme “Ray”, sobre Ray Charles, uma das coisas que mais marcou foi a apologia que ele fazia da música country: “o belo são as histórias; eu gosto das histórias”. E daí me lembro da saudade imensa do campo e do mato, onde Maria Chiquinha pôs chifres em Genaro, seu bem. Tomara que seja verdade que exista mesmo disco voador e que seja um povo inteligente pra trazer pra gente a paz e o amor, ou ainda vai ter muito Chico Mineiro morrendo por aí.

  2. Blix Monteiro
    13 de abril de 2012 às 14:14

    Vide Vida Marvada é, na verdade, de autoria de Renato Teixeira. Gostaria de saber quando foi composta…

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: